L-DOPA

SOBRE A L-DOPA

A L-Dopa Publicações é uma editora curitibana independente que tem como propósito estimular a leitura e levar o letramento para todos os cantos. É uma meta ambiciosa, estamos cientes, mas na vida a gente deve tentar o que vale a pena ser feito, por mais difícil que pareça.
E já alcançamos muito. A L-Dopa surgiu em 2005 com um grupo de amigos que gostava de Noam Chomsky e que ouvia Born Against. Um livro praticamente emergiu dessa amizade: a autobiografia do historiador norte-americano Howard Zinn. Daí foi um passo para querer editar o livro e, lidando com as condições concretas e objetivas de fazer livros, veio à tona a paixão por publicar, por viver a vida da literatura.
O nome L-Dopa vem da substância ativa da dopamina, um elemento químico necessário às dinâmicas da inteligência no ser humano. Analogamente, pensamos que o objeto livro é uma espécie de catalisador de uma série de atividades culturais, fundamentais não à sobrevivência, mas à vida inteligente das pessoas. Pois, se os livros por si só apenas armazenam conhecimento, no contato com os leitores e leitoras esse pensamento cristalizado ganha vida, ele se torna sabedoria prática.
Mas ninguém vai estimular o letramento no Brasil – um país, apesar dos avanços na educação, ainda majoritariamente analfabeto – fazendo livros caros e inacessíveis, que irão se tornar meras decorações numa sala. Queremos que o livro seja utilizado. Queremos que o livro se torne um bem de consumo cotidiano. Daí nossa preferência pelo livro de bolso, a um preço acessível, para colocar a literatura ao acesso de qualquer um.
Nosso primeiro título, Você não pode ser neutro num trem em movimento, de Howard Zinn, já pauta o caminho que queremos trilhar. Publicamos livros de política, ligados a uma visão libertária do que é estar no mundo. Mas também publicamos literatura que consideramos “relevante e reveladora”, nossos dois critérios para determinar o que queremos ver com nosso nome.
Publicamos, assim, muitos clássicos, porque eles são sempre novos e “refrescantes”. Clássicos por vezes pouco conhecidos, ou ditos “alternativos”, na medida em que queremos oferecer aos leitores e leitoras algo que seja uma opção ao que já está posto.
Queremos, em suma, publicar livros que nós mesmos gostaríamos de ler. Conhecemos um pouco da nossa realidade e queremos espelhá-la, para que outros possam refletir também sobre ela; e, ao mesmo tempo, ignoramos muito do que nos cerca, de forma que, por curiosidade, queremos investigar o que há nela.
Nossos métodos são os mais práticos que conseguimos reunir e nossas metas, embora grandiosas, são positivas a ponto de abarcar diferentes correntes de interesses. Nossa pretensão é a de contribuir para o letramento e para tornar o livro um objeto de consumo corriqueiro num país famoso por sua desigualdade estrutural e que quer – mais do que isso, que precisa – se pensar e se repensar.
Queremos retomar o discurso da criatividade das mãos de uma minoria e empoderar a população com história, com filosofia, com poesia e com um diálogo que – sabemos porque também somos leitores – é possível ter com um bom livro. Esperamos que nossos livros semeiem reflexões que frutificarão num futuro que precisamos começar a criar desde já.
Enfim, isso é o que somos e essas são nossas intenções. Sabemos que nossas metas são alcançáveis com paciência, com disciplina e também com um pouco de bom humor. Mesmo que o dia em que vivamos numa sociedade de leitores esteja distante, é evidente que se trata de um objetivo positivo e é satisfatório saber que a cada dia se trabalhou um pouco para se aproximar dele.
Fica assim o nosso convite a todos e a todas para conhecerem nossos livros e nossa literatura relevante e reveladora.

SOBRE NILS SKARE

Nils Skare nasceu em Nova York em 1980. Com a família, brasileira, após um breve período de moradia na Suécia (de onde é seu avô, de mesmo nome), mudou-se para Curitiba (PR). Cursou as faculdades de Ciências Socias e de Letras na Universidade Federal do Paraná, mas abandonou os cursos antes de se formar. Publicou, contudo, mais de vinte artigos acadêmicos em revistas nacionais e internacionais, sobre tópicos como semiótica, tradução, cinema e psicanálise. Sua primeira obra de ficção, uma novela, foi publicada comercialmente em 2010, A Antibruma. A esta se seguiram outras novelas e ciclos de novelas, como A Sintaxe das Galáxias e O Caleidoscópio de Calina (livros “irmãos” que formam uma unidade conceitual). Nils Skare publicou em 2016 uma coletânea de contos chamada A Encruzilhada & outros contos. Além de obras de ficção, publicou ainda em 2016 uma antologia de ensaios, os Três Ensaios Psicanalíticos; também, trabalhando como roteirista, escreveu uma série de curtas-metragens, dos quais um já foi filmando, Castelo de Areia com direção de Mariana Starling. Nils Skare é o “ditador espiritual” da L-Dopa Publicações, que vem ajudando a consolidar desde 2005 e para a qual já traduziu mais de vinte livros, de autores consagrados como Mark Twain (O Estranho Misterioso), Charles Baudelaire (Poemas de Sedução da Carne e da Morte), Akutagawa Ryunosuke (Kappa) e August Strindberg (A Sonata dos Espectros), entre diversos outros